Browsing Category

Barateza

Artesanal, Barateza, Cozinha Natural

Faça sorbet em casa com apenas quatro ingredientes

24 de novembro de 2017

O Sorbet é uma sobremesa gelada, que se assemelha ao sorvete, porém, a diferença é que não leva nem leite, nem ovos, apenas o purê da fruta, açúcar e água. Pode ser feito com purês de amoras, framboesa, pêssegos, melancia, acerola, pitanga, maracujá, suco de laranja, limão, abacaxi… O único segredo para um bom Sorbet é que, na ausência de uma sorveteira, você tem que estar disposto(a) a retirá-lo do congelador e bater diversas vezes para quebrar os cristais de gelo. Se o sorbet for feito à base de um suco, por exemplo, você vai ter que bater mais vezes, isso porque como o suco tem mais água do que os purês de fruta, mais gelo é formado. O resultado é um Sorbet liso, sem aqueles gelinhos no meio. Geralmente é feito com uma calda de açúcar, que pode ser substituída pelo açúcar de sua escolha, como o melado, por exemplo. Agora, dá uma olhadinha como é fácil:

O Sorbet é uma opção de sobremesa gelada muito fácil de fazer. É só suco, açúcar e limão.

Sorbet de Morango com manjericão

RENDIMENTO- Rende 500 ml.

Sobremesa, lanche ou pode ser usado em drinques.

Ingredientes

  • 5 bandejas de morango maduros
  • 1 ramo de manjericão fresco (roxo ou verde)
  • 75 ml de água
  • 75 g de açúcar (se você for usar açúcar magro ou Estévia Natural, reduza esta proporção e a de água pela metade)

Modo de fazer

  1. Faça uma calda com o açúcar de sua preferência. A calda para o sorbet deve ficar transparente, não igual ao caramelo do pudim, ok? Misture o açúcar e a água e leve para reduzir em fogo baixo. Reduzir quer dizer que esta mistura vai diminuir e engrossar, lembrando mesmo um xarope.
  2. Espere esfriar e acrescente umas 8 folhas de manjericão. Elas vão perfumar a calda. Reserve algumas para decorar.
  3. Faça a purê de morangos. Lave os morangos ainda com os cabinhos para que eles não absorvam muita água. Retire os cabinhos, corte os morangos e bata no liquidificador.
  4. Passe esta mistura pela peneira. O que você vai usar é o purê, pode descartar os resíduos que ficaram na peneira.
  5. Misture a calda de açúcar e manjericão com o purê.
  6. Leve para congelar por umas 2h até estar semicongelado.
  7. Bata o sorbet, no liquidificador, mixer ou processador com regularidade para quebrar os cristais de gelo. Isso pode ser feito durante umas 2 vezes, a cada 2h, tempo necessário para ele congelar.
  8. Antes de servir, retire o Sorbet por alguns minutos.
  9. Sirva com as folhinhas de manjericão.
  10. Se for usar o Sorbet para drinques com Espumante, por exemplo, coloque duas colheres de sopa de Sorbet para uma taça da bebida.

Dica Temperomental: Sempre que possível, opte pelos alimentos orgânicos. Para se ter uma ideia, o morango é uma das frutas que lidera a lista dos alimentos que possuem altos índices de resíduos de agrotóxicos (46%). O pessoal da Rede de Agricultura Sustentável sugere, que para eliminar um pouco do resíduo, você prepare uma solução de água e bicarbonato e coloque os morangos antes de usá-los.   

Barateza, Comida brasileira, Comida de freela, Cozinha Natural

Ideias criativas e deliciosas para as sopas e cremes vegetarianos

28 de junho de 2017

Sopas e cremes são alimentos fáceis e baratos de fazer, “sustentam” e não exigem muita habilidade na cozinha. Claro, que existem receitas super elaboradas de sopas como a Bouillabaisse (sopa à base de caldo de peixe com frutos do mar e ervas diversas) ou o Capeletti in Brodo (caldo de frango, legumes ou carne com massa caseira tipo capeletti), para citar algumas, mas no geral, a gente se vira com o que tem em casa, não é?

E não é porque não temos ingredientes caríssimos, que vamos deixar de tomar uma sopinha saborosa e porque não, diferente. Aqui em Curitiba é muito frio e por incrível que pareça, as opções de boas sopas a preços acessíveis são bastante limitadas. Então, nada melhor do que criar as suas próprias combinações.

Hoje vou compartilhar algumas dicas pra você fugir do óbvio nas receitas de sopas e cremes vegetarianos. Se você não é vegetariano, coloque aí a proteína de sua preferência, mas a intenção é mostrar que mesmo sem carne dá pra ser feliz e comer bem. Bora lá:

 

#1- Para sopas de abóbora mais cremosas, asse a abóbora e não cozinhe: Prefira assar a abóbora ao invés de cozinhar. Isso vai garantir um creme mais encorpado e sem a necessidade de colocar leite, creme de leite ou engrossar com amido de milho. Basta cortar a abóbora, acrescentar azeite, ervas e alho e assar por uns 20 minutos. Depois é só bater com caldo ou água. 

Abóboras assadas ficam mais sequinhas e podem ser usadas em cremes e até mesmo em massas, como nhoque.

#2- Faça caldos com as cascas- Lá no Instagram eu dei a dica: não joga fora as cascas dos vegetais que você usa. Vai armazenando no freezer e depois cozinha com ervas, pimenta em grão e especiarias, que você tem aí. Isso vai enriquecer o sabor dos cremes e das sopas.

Caldos podem ser feitos com cascas e folhas de vegetais

#3- Utilize pão, sementes de girassol, nozes, castanhas, pedacinhos das verduras e cereais para finalizar cremes e sopas- Quando você capricha na apresentação e acrescenta ingredientes para dar textura e consistência às sopas e cremes, o negócio muda de figura. Abaixo eu posto a foto de um Creme de Grão de Bico em que coloquei tahine, pão folha e os grãos de bico inteiros para finalizar. Além do sabor ficar especial, dá mais saciedade.

Este creme ficou especial: além do creme de grão de bico, acrescentei berinjelas em cubos e grãos de bico salteados em azeite com ervas.

#4- Asse couve flor, alho, tomate, pimentões- A gente aprendeu sempre a cozinhar os alimentos para fazer sopas, mas tá aí umas dicas que vão deixar as suas sopas com outro sabor. Asse o alho por uns 15 minutos e bata no liquidificador com batata doce ou mandioquinha, por exemplo. Para a couve-flor, faça o mesmo e acrescente temperos e especiarias. Depois bata com leite de coco e pronto.

Você pode assar a couve flor com alho, cebola e acrescentar pimenta, páprica, curry e o que mais você tiver em casa.

Pra ver mais dicas criativas e baratas para você comer e cozinhar melhor,  visita a gente lá no Instagram.

 

 

 

Barateza, Comida brasileira

Variar os alimentos é o segredo da alimentação vegetariana saudável

7 de março de 2017

A inspiração para este post veio a partir da leitura da matéria Dispensar carnes é possível com boa combinação de alimentos publicada no Estadão. A jornalista Juliana Carreiro faz uma boa reflexão sobre como é possível dispensar as proteínas de origem animal e ter uma alimentação vegetariana saudável. Eu não só acho perfeitamente possível, como pratico isso há muito tempo. Não sou vegana, mas 80% da minha alimentação não tem nada de proteína animal, não só por motivos vários que não cabem aqui, mas também porque a cozinha vegetariana e natural é ainda um universo que precisa ser melhor explorado por nós, brasileiros.

Diversificar os alimentos é uma forma de ter uma alimentação vegetariana mais saudável

Muita gente (ainda) associa a comida vegetariana a proteína de soja, as frituras, aos lanches, como “cachorro-quente”, pizzas e hambúrguer. Claro que isso também faz parte, é uma maneira de trazer um público que curte este tipo de comida para conhecer as versões vegetarianas e não deixar os vegetarianos “órfãos” destes quitutes, mas, além disso, a comida natural, a cozinha sem a carne e sem as proteínas de origem animal representam verdadeiros desafios tanto para os cozinheiros, quanto para quem está mudando os seus hábitos. Quando começamos a ter hábitos mais “naturebas”, inevitavelmente o paladar começa a ficar mais exigente e os alimentos industrializados, o açúcar, o excesso de sal, a maionese, margarina, etc., começam a não fazer mais sentido… Aí, que a mágica acontece: a gente começa a criar novos sabores e combinações.

Saladas que combinem frutas, legumes e verduras são ótimas para incrementar qualquer refeição

Esse é o segredo da alimentação vegetariana saudável: variar os tipos de alimentos e combiná-los para que a gente consiga suprir as nossas necessidades diárias de nutrientes. Por isso, não é porque a pessoa é vegana e come todo dia pizza de tofu e coxinha de jaca, que ela é mais saudável do que o cara que come carne e massa no refeitório da firma. É preciso combinar os alimentos para que haja esse equilíbrio. 

Mas, tem gente que sempre me diz isso: mas é muito caro comer bem! ou ainda, se eu dispensar a carne eu passo fome. Será mesmo? Olha o desafio: sugerimos algumas combinações de alimentos para o almoço. Tenta fazer isso por um ou dois dias. Depois, você troca as preparações, inventa as suas.. Hoje vou falar do almoço, mas em seguida posto sobre o café da manhã e jantar, ok? 

Dicas gerais

  • Se for comer em casa, tenha sempre: temperos variados (orégano, páprica, tempero árabe, pimenta síria, pimenta caiena). Se der, tenha também uns temperos frescos, como salsa, manjericão, coentro e cebolinha. Assim você varia o sabor das suas receitas, sem gastar muito.
  • Quando sobrar um dinheirinho, procure comprar: Tahine, Shoyu, sementes (gergelim, semente de girassol) e oleaginosas (nozes, amendoim, castanha). Estes são ingredientes que vão dar aquele “plus” e você vai sentir que não está comendo a mesma coisa todo dia.
  • Quando você receber o 13o salário ou uma herança- Compre um processador de alimentos e um Spiralizer- O processador vai ajudar você a criar mais receitas como leites vegetais, preparados para molhos, bases e etc. O Spiralizer simplesmente vai transformar aquele legume que seria refogado em super espirais, variando a forma e a textura do alimento.

Sugestões para o seu Almoço: 

SEGUNDA- Arroz+feijão+legumes salteados com óleo de coco+salada de alface, pepino e tomate.

TERÇA- Lentilha+cevadinha+berinjela grelhada + brócolis.

QUARTA- Abóbora + cogumelo+ arroz de coco + salada de abobrinha e pepino.

QUINTA- Abobrinha recheada com lentilha e cenoura + salada de pepino, cebola e tomate + purê de couve flor.

SEXTA- Arroz + feijão+couve refogada+ banana grelhada+ salada de chuchu

SÁBADO- Salada de grão de bico+abobrinha grelhada e salada verde.

DOMINGO- Chili de lentilhas e cogumelos + salada de tomates, cebola, pepino e abacate.

SEGUNDA- Feijão+ quiabo+farofa de cenoura e talos+salada de tomate e alface.

 

Hey! Aproveita e segue o Tempero no Insta. Tem um monte de dicas por lá.

Barateza, Comida brasileira, Comida de freela, Cozinhar é resistir

Quais são os valores que movem o TemperoMental

1 de fevereiro de 2016

O Tempero Mental surgiu há uns 8 anos atrás, muito antes do Instagram dar o ar de sua graça. A gente tirava as fotos dos nossos pratos com os ingredientes que tínhamos na geladeira, com uma câmera digital, que hoje é praticamente dada de graça por aí. Naquele tempo, eu ainda estava fazendo jornalismo e só depois, fui inventar de fazer Gastronomia, parcelar um celular melhor e por aí vai. De lá pra cá, mudamos e tentamos entender a dinâmica que move o mundo da cozinha e da comida.

De uma coisa temos certeza: tem espaço pra todo mundo. Mas, nós, gostamos de falar de algumas coisas mais do que outras. Por isso, você sempre vai encontrar por aqui:

  • Comida brasileira
  • Comida Vegetariana
  • Comida Vegana
  • Experiências coletivas
  • História da alimentação
  • Amizade e alegria por meio da cozinha (e da comida, claro)
  • Agricultura familiar
  • Colaboração
  • Orgânicos
  • Produção local
  • Troca de conhecimento
  • Baratezas
  • Receitas Adaptadas
  • Aproveitamento integral dos alimentos
  • PANC
  • Técnicas de cozinha para tod@s
  • Muita cozinha
  • Valorização do alimento bom e seguro pra todo mundo.
  • Muita cozinha, de novo.

O que você não vai encontrar:

  • Dicas de restaurantes “bons x  ruins”
  • O que você deve comer ou não
  • Quais alimentos são “bons” ou “maus”.
  • Críticas a restaurantes, bares, etc.
  • Dicas pra você emagrecer
  • Notícias gourmet
  • Nutricionismo
  • Agropecuária
  • Dicas detox
  • Dicas para você ter  mais músculos

A gente tem como meta compartilhar conhecimento e trocar experiências sobre a cozinha em sua formas e expressões mais simples, sempre dialogando com as maneiras alternativas de se relacionar com o alimento. Além disso, buscamos valorizar, sobretudo, as pessoas que trabalham pra levar a comida pra você, a produção local e a cultura da comida e da cozinha artesanal.