Browsing Category

Cozinhar

Cozinha Natural, Cozinhar, Receitas Veganas Práticas

Alimentos vegetais ricos em proteína

30 de maio de 2017

Uma das maiores preocupações de quem resolve reduzir ou eliminar o consumo de carne é em relação à falta de proteínas. Proteínas são essenciais para manter o nosso corpo e mente em funcionamento, ajudam na construção e reparação dos músculos e nos dão energia para as nossas atividades diárias.

A maioria das pessoas consome carne para suprir a necessidade de proteínas. Mas, é possível encontrar proteínas em alimentos de origem vegetal. O que acontece é que muitos vegetais contêm pequenas quantidades de proteínas e o que você deve fazer é variar e combinar os vegetais, grãos e sementes pra ter uma quantidade suficiente de proteínas em suas refeições. 

Veja uma lista de alguns alimentos vegetais ricos em proteínas e algumas combinações que você pode fazer. Olha só:

Tofu é uma excelente fonte vegetal de proteína. Pode ser usado grelhado, empanado, combinado com vegetais e legumes ensopados, além de pastas e como recheio para sanduíches.

 

Feijões são os alimentos mais acessíveis pra quem quer fontes vegetais de proteína. Combine com uma porção de arroz, salada, sementes (como semente de girassol), farofa de castanhas e pronto!

 

Lentilhas podem ser usadas ao invés do feijão, como ensopados, sopas, currys, almôndegas, bolinhos ou como recheio de tortas e escondidinhos, além de chillis.

 

O arroz, cogumelo e o gergelim formam uma combinação vegetal perfeita pra completar as proteínas em seu cardápio. Use o cogumelo que for acessível pra você, misture com brocólis, arroz e sementes, como linhaça ou amaranto.

Comida brasileira, Cozinha Natural, Cozinhar

Hommus de feijão fradinho com beterraba e Pastinha de Semente de Girassol

18 de abril de 2017

Confira duas receitas exclusivas de pastas saborosas e fáceis de fazer

Sempre gosto de ter pastas e patês em casa, porque você nunca sabe quem pode aparecer, se surge uma festa de última hora, se a madrugada vai ser longa e por aí vai. Fiz estas receitas para receber meus amigos em um “Sarau Jantar da Sabrina”, que fiz aqui na minha casa. Como eu já estava na rua e tinha pouco tempo, tive que deixar tudo previamente arrumadinho pra dar tempo de fazer tudo. Por isso eu digo: se eu fiz tudo em uma hora e meia, você também faz. Coloca a Dona Onete no Spotify, pega aquela cachacinha e vai.

#dica- Deixe de molho as leguminosas

Quando trabalhamos com leguminosas (feijão, grão de bico, lentilha) é recomendável que você deixe de molho, senão um dia antes, com pelo menos duas horas de antecedência. Isso ajuda no cozimento e também para a digestão desses alimentos. Com as sementes, como a de Girassol, que usei na receita, também. Vai facilitar pra processá-las e dar mais cremosidade na sua pastinha.

As duas receitas que compartilho com você são exclusivas e dificilmente você encontra pra comprar em delicatesses ou rotisseries (aquelas lojas chiques que vendem coisas como frios, queijos, pães, patês, antepastos) sabe por quê? Por que as pastas e patês quase sempre levam queijo, creme de leite ou maionese, que são os ingredientes mais comuns. Mas, seus problemas acabaram! 

Nem o Homus de Feijão Fradinho com beterraba e nem a Pastinha de Semente de Girassol levam leite ou queijo em suas preparações: só feijão fradinho, beterraba, tahine, azeite, limão e a semente de girassol. Olha, é simplesmente delicioso, rende bastante e elas podem ser usadas como antepasto (veja na foto) ou como recheio de sanduíches e tortas. Curtiu? Então, olha como é fácil fazer. 

Legumes, vegetais, cogumelos e nuts substituem o pão para acompanhar as pastinhas.

 

Homus de Feijão Fradinho com Beterraba

A páprica doce dá um sabor super especial ao Homus com beterraba. Se não tiver, pode ser a páprica picante ou pimenta caiena. Se não tiver Feijão Fradinho, pode ser: lentilha, feijão branco, ervilha e até soja. 

Ingredientes

1 beterraba média

1 xícara (chá) de feijão fradinho

Água (para cozinhar o feijão e a beterraba)

2 colheres sopa de tahine (pasta de gergelim)

Suco de 1 limão

1 dente de alho

Sal marinho

1 colher de sobremesa de Páprica doce

4 colheres (sopa de azeite de oliva)

Como fazer:

  1. Se você já deixou previamente de molho o feijão, coloque na panela de pressão e cubra com a água. Cozinhe por 25 minutos. Reserve a água do cozimento. Se não, deixe-o de molho por duas horas em água morna. Proceda da mesma maneira.
  2. Descasque e cozinhe a beterraba por 15 minutos.
  3. Em um processador ou liquidificador na função Pulsar, misture: o feijão cozido, a beterraba cozida (sem a água do cozimento), o alho, o tahine, o suco de limão e o azeite de oliva. Processe até virar uma pasta, caso queira, acrescente um pouco da água do cozimento do feijão para deixar menos espesso.
  4. Finalize com o sal e a páprica.
  5. Se quiser, coloque pimenta do reino moída na hora.
  6. Reserve em geladeira até a hora de servir.
  7. O Homus dura até 3 dias na geladeira.
  8. A água do cozimento do feijão e de beterraba podem ser usada para sopas, caldos ou ainda, no caso da beterraba, para sucos com laranja, cenoura e morango. Não joga comida fora, tá!?

Pastinha de Semente de Girassol

Esta pastinha fica ótima pra recheio de panquecas e tartelettes, pois ela fica com uma consistência que lembra a ricota, porém, mais crocante.

Ingredientes

1 xícara (chá) de semente de girassol

1 limão Siciliano (você vai usar metade do limão, a outra metade pode ser usada pra aromatizar a água)

1 dente de alho pequeno

Folhas de manjericão, orégano ou hortelã (frescos)

4 colheres de sopa de azeite de oliva

Sal e pimenta

Como fazer: 

Deixe molho as sementes de girassol por pelo menos um dia, senão, deixe-as de molho em água morna por 1h.

  1. Em um processador ou liquidificador no modo pulsar, bata: as sementes sem a água, o azeite, o suco de limão, as ervas frescas e o alho. Acerte a textura com um pouco de água morna, se for preciso.
  2. Finalize com o sal e a pimenta a gosto.
  3. A pastinha dura até dois dias na geladeira.

 

Se você fizer a receita, me mostra o resultado lá na página do Tempero Mental, combinado?

Artesanal, Cozinha Natural, Cozinhar

Receitas com chocolate em versões vegetarianas

12 de abril de 2017

O chocolate não é um ingrediente fácil de trabalhar. Qualquer errinho pode comprometer a receita inteira. Além disso, a qualidade do chocolate influencia muito no sabor e na textura das preparações. É por isso que as pessoas tanto falam que o chocolate “de verdade” tem aí, no mínimo uns 50% de cacau. Bom, nosso objetivo aqui é passar algumas receitas fáceis com o chocolate que você tiver à sua disposição. Se você segue uma dieta vegana, já sabe que precisa buscar os chocolates com alto teor de cacau ou fazer o seu próprio chocolate.

Mas, existe chocolate que seja vegano? Nas minhas pesquisas e também na prática de cozinha indico duas marcas: uma que é fantástica (e orgânica ainda por cima), a Amma e a outra, mais acessível, a Melken Harald Dark.

Bom, antes de fazer qualquer receita com chocolate, preste atenção em duas coisas:

  1. Cuidado com a temperatura- Calor e chocolate são coisas que não combinam, a menos que você queira servir molhos ou chocolate quente. Para derreter o chocolate, use o tradicional banho-maria ou micro-ondas, neste caso, derreta aos poucos, tirando o chocolate a cada 30′ e mexendo.  
  2. Para cada preparo (coberturas, bombons) um tipo de temperatura. Algumas marcas indicam no verso na embalagem a temperatura ideal para cada receita. Preste atenção a isso.

Agora, vou compartilhar algumas receitas com chocolate em versões vegetarianas e que não vão exigir muito de você. O legal é que dá pra fazer antecipadamente e não custam caro. A primeira é um Brownie de chocolate e banana, sem ovos e sem leite, a segunda são as Trufas com leite de coco e cachaça de Umburana.  

 

Brownie de chocolate e banana

Aqui eu coloquei algumas castanhas de Baru tostadas, mas se você não tiver, faça sem, que também fica uma delícia. A versão que está abaixo é bem simples e mais acessível.

Esta é uma versão com castanha de Baru. Mas, se você não tiver, não tem problema. Pode fazer sem.

Essa foi a receita que eu apresentei durante o Festival de Curitiba para uma ação de marketing da marca Da Magrinha. Usei alguns ingredientes deles para fazer a receita.

INGREDIENTES:

1 xíc de  farinha de trigo branca ou farelo de aveia

1/2 xíc. de açúcar mascavo

1/2 xíc. de óleo vegetal (pode ser óleo de coco, porém o sabor é mais marcado. Eu uso Canola ou Girassol)

½ xícara de água morna 

1 colher de chá de extrato de baunilha

100g de chocolate meio amargo (60%, 70% de cacau)

1 pitada de sal

3 bananas maduras

1 colher (sopa) de sementes de chia

1 colher (chá) de fermento em pó

80 gr de cacau em pó

Para a ganache vegan

100 ml de leite de coco

200 gramas de chocolate 70%

COMO FAZER:

1-Pré-aqueça o forno em 180 ºC.

2- Amasse as bananas. Quanto mais maduras, mas doces. É isso que vai ajudar a adocicar o brownnie.

3- Hidrate a chia com duas colheres (sopa) de água.

3- Em uma tigela misture a farinha, o cacau, o óleo, o extrato de baunilha, uma pitada de sal, a água morna, a chia e finalmente, as bananas amassadas.

4- Derreta o chocolate em banho-maria e acrescente à massa. O resultado é uma massa firme, não líquida.

5- Depois de misturar, acrescente o fermento. Misture delicadamente.

6- Forre uma assadeira com papel manteiga, unte e coloque a massa. O tamanho da assadeira influencia na altura do brownie, opte por uma de 22, 5 cm x 22, 5 cm.

7- Asse por 15/20 minutos.

8- Se quiser, cubra com a ganache vegan. Basta aquecer o leite de coco até quase ferver. Em seguida, acrescente o chocolate até derreter. Cubra os brownies quando estiverem frios.

 

Trufas de leite de coco, café e cachaça.

Trufas com leite de coco e cachaça de Umburana

Você pode acrescentar um licor de sua preferência, cachaça, essência de rum ou ainda café. Aqui fiz duas versões: uma com café e a outra com a cachaça de Umburana.

INGREDIENTES

200ml de leite de coco

400g de chocolate meio amargo

1 colher (chá) de cachaça de Umburana

Cacau em pó

Amendoim torrado

Aqueça o leite de coco até quase ferver. Acrescente o chocolate e misture bem. Em seguida, acrescente o sabor de sua preferência. Refrigere por no mínimo 4h.

Após este período, a massa da trufa estará firme e pronta para ser modelada. Basta enrolar e passar no cacau ou amendoim.

Comida brasileira, Cozinha coletiva, Cozinha Natural, Cozinhar

Cozinhar é coletivo

5 de dezembro de 2016
Feijuca da Bela

Feijuca da Bela

Em outubro, eu e a Isabela Faust- Cozinheira, Confeiteira Natural e aventureira profissional- resolvemos inventar moda e cozinhamos juntas no Coletivo Alimentar, um lugar bacaníssimo em Curitiba, que tem o objetivo de valorizar produtos, produtores e cozinheiros locais. No Coletivo, além de pessoas ótimas, você acha boa comida, café bom, insumos que vem de Agricultura Familiar, orgânicos, cerâmicas lindas, produtos de artesãos locais, etc, etc.  Aliás, este tipo de negócio, que reúne diversos profissionais independentes, está se tornando muito comum na capital paranaense. Esta é uma dinâmica muito interessante, porque são estes movimentos “alternativos” que dão uma renovada nos serviços, nos bares, nos negócios locais. Eu sou uma verdadeira entusiasta deste pequenos negócios e quando posso estou em todas.

Só pra contar pra vocês o que a gente inventou. Como a proposta era uma comida de Boteco, porém Vegetariana, eu e a Bela, fizemos um cardápio bem simples de Feijoada Vegetariana, Bolinho de Vatapá, Salada de Pupunha com Capim Cidreira e Farofa de Castanha de Caju e Berinjelonça, que é uma “leitura” da Carne de Onça, petisco típico aqui de Curitiba, que leva carne crua, cebola, mostarda e outros temperos. Dá uma olhadinha nas fotos.

Bolinho de Vatapá da Bela com Vinagrete e Chutney de Pimenta Cambuci

Bolinho de Vatapá da Bela com Vinagrete e Chutney de Pimenta Cambuci

Broa preta, Iscas de Berinjela, Cebolinha e Mostarda.

Broa preta, Iscas de Berinjela, Cebolinha e Mostarda.

A Berinjelonça é feita com a Berinjela Cortada em fatias finas. O esquema da Berinjela, sempre que você for usar, é deixar de molho por pelo menos 30 min. Isso tira o amargor dela. Aí é refogar a cebola com azeite, acrescentar as iscas de berinjela, molho inglês, sal, pimenta, páprica picante e claro, uma cachaça. Aí é: ou manteiga na Broa (pra quem é Ovo-lacto) ou Maionese Vegan, Berinjela, Cheiro Verde, mostarda e azeite. Pronto! Até quem não é vegetariano, vai curtir!!

Cozinhar, panc, Plantas

Pizzas artesanais feitas com PANC

18 de novembro de 2016

Em maio, tive a oportunidade de conhecer algumas Plantas Alimentícias não Convencionais, que são chamadas de PANC’s. A desculpa pra isso foi fazer pizza o dia inteiro com o Kleber do Quintal Comestível, quintaleiro assumido, que estuda e ministra cursos sobre PANC e hortas urbanas e os amigos do Pão da Casa, Rene Eugenio Seifert e Vanessa Strey Seffert, na Colônia  Witmarsun-PR, situada no município de Palmeira.

Provavelmente vocês vão ler muito por aqui sobre modos alternativos de alimentação e sobre pão, principalmente a padaria artesanal praticada pelo pessoal do Pão da Casa, iniciativa da qual somos fãs e entusiastas. Se o seu desejo é o de se dedicar um pouco mais a estas formas de se relacionar com a comida, você está no lugar certo, pode ter certeza.

Mas, voltando às maravilhosas PANC: em resumo são flores, frutas, ervas, hortaliças, que crescem no “mato” ou na cidade. Como elas não são comuns, as pessoas acabam achando que são ervas daninhas ou venenosas, o que não é verdade. A vantagem de reconhecer, comer e plantar este tipo de comida é aumentar o repertório  de nossa alimentação e praticar a diversidade alimentar. Com isso, a gente desenvolve autonomia pra entender a comida como algo muito mais amplo do que nos dizem que é certo comer. A gente se apropria da comida.

Mas, se eu sair por aí comendo mato, erva na rua ou no mato, eu não morro? Morre, não. Claro, que como toda descoberta você precisa pesquisar antes e perguntar pra quem entende. Uma dica é consultar este guia aqui, do pessoal da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que explica quais são algumas das PANC mais comuns com fotos, nome científico e até receitas.

pancs

Crédito da imagem: Vanessa Strey Seffert- Mesa de PANC: Coração de Banana, Cará-Moela, Ora- pro- nóbis, Capuchinha, Urtigão, Hibisco.

pizza

Crédito da imagem: Vanessa Strey Seffert. Pizza vegana com pesto de castanha do pará e tomate de árvore, conhecido como tomatillo.

pizza-rene

Crédito da imagem: Vanessa Strey Seffert. Rene compartilhando conhecimentos sobre pão e pizza.

Sobre o termo PANC: Este termo foi criado em 2008 pelo biólogo e professor, Valdely Ferreira Kinupp e contempla todas as plantas que tem uma ou mais partes comestíveis. Podem ser plantas nativas, advindas de outros países e que foram cultivadas ou criadas de maneira espontânea, por qualquer pessoa.

Cozinhar, Cozinhar é resistir

TemperoMental está de volta

31 de janeiro de 2016

Depois de uma breve (não tão breve) pausa, o TemperoMental está de volta com alguns quilos a menos e novo visual. Estudamos mais, pensamos e repensamos o que estávamos fazendo e comendo, e agora vamos compartilhar com você as nossas experiências.

Nosso foco é compartilhar conhecimento para que você possa comer melhor sem gastar muito. Para que repense os seus hábitos, os ingredientes e preparos e que possa usar melhor os recursos que tem disponível. Somos pautados pelo respeito à natureza, às pessoas e principalmente, pelo amor à comida.

Vamos pensar juntos sobre o que estamos comendo?