Browsing Tag

alimentação saudável

Comida de verdade, Cozinha Natural, receitas vegetarianas, Vegetariano

Kebab de couve flor

21 de junho de 2018

E você não come carne, come o que então? Tudo, minha gente. Come de um tudo. Menos carne (sobra bastante coisa, né..) Mas, não vou mentir e dizer que é fácil ser vegetariano e saudável. Nem que é super barato. Você vai precisar cozinhar, comer muita mandioca frita  em boteco e sim, trocar o lanchão vegetariano por opções saudáveis se quiser ter um equilíbrio.

Orra, que post triste. Não é sobre Kebab? Passa a receita pra mim, então.

Ok. Resolvi testar essa receita depois de ler em um blog super legal (em inglês) e confesso que adaptei ao meu bolso e realidade. Pra você fazer o Kebab vai precisar fazer a “carne”  de couve-flor, que nada mais é do que os floretes da couve flor assados com temperos. Esta carne é misturada depois ao tahine e chia pra dar forma ao Kebab (como você pode ver na foto). Fica extraordinariamente deliciosa e você nunca mais na vida vai usar aquele negócio de soja.  

Kebab de couve flor e amendoim é opção vegetariana de prato árabe.

Ingredientes da “Carne”  de couve flor e amendoim

  • 1 cabeça média de couve-flor (só os floretes)
  • 2 xícaras de amendoim
  • 2 dentes de alho picadinhos.
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva
  • 2 colheres de Shoyo
  • 1/2 colher de chá de sal
  • ½ xícara de salsa fresca
  • 1 colher sopa de limão.
  • 1 colher de sopa de zattar

Use só os floretes da couve-flor. Coloque no processador e bata. Vai ficar parecidinho com cuscuz marroquino. Reserve. Bata o amendoim. Reserva também. Misture o azeite, Shoyo, alho picadinho, salsa, limão, zattar, limão. Misture o amendoim à couve-flor. Regue com os temperos, misture tudo.

Pra fazer o Kebab

  • Utilize esta “carne”.
  • Coloque 1 colher sopa de tahine.
  • ½ xícara de água para hidratar ¼ de xícara de chia.
  • Espetinhos de madeira.

Para assar ou grelhar

 

  • Tentei fazer na churrasqueira e não deu. Na grelha bem quente foi melhor, mas é preciso ter cuidado na hora de virar.

 

  • Frigideira vai muito bem e no forno fica perfeito.
  • Se preferir coma com pão sírio, molho de tahine, pepino azedo, tomate e alface.
  • O rendimento é de uns 15 Kebabs em média.
Comida de verdade, Cozinha Natural, Hortas, Plantas

Como cultivar hortas em pequenos espaços

2 de junho de 2018

Embrapa disponibiliza e-book grátis sobre como montar hortas em espaços reduzidos

Cultivar hortas pode ser uma atividade simples e barata.

Mexer com a terra é uma forma da gente se conectar com o mundo de um jeito mais simples e mais calmo. E, olha, você não precisa de muito pra começar a sua horta agora mesmo. Um pouco de terra, um cantinho que anda esquecido e sua atenção e cuidado com as plantinhas. Pronto!

A Embrapa- Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- disponibilizou para download grátis o livro “Horta em Pequenos Espaços”, que é uma oportunidade bem legal pra quem quer começar a colocar a mão na terra utilizando os recursos e espaços físicos disponíveis. Dá pra pensar em produzir alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos em espaços vazios como corredores, varandas, quintais, sacadas… ou nos espaços alternativos para o cultivo como pneus, garrafas pet, canos de PVC, baldes e latas. Eu mesma moro em um lugar pequeno, que tem uma varandinha, mas não faltam as plantinhas de ora-pro-nóbis, salsinha, manjericão… Quando você produz e colhe seu alimento, você cria uma nova forma de se conectar com o que come, vai por mim.   

O que eu acho bacana neste livro é que:

  1. Todas as etapas de cultivo da horta- Quando a gente começa uma horta tem dúvidas sobre como plantar e cuidar dela, aqui tá tudo explicadinho no capítulo 2.
  2. O que pode dar errado no cultivo da horta- Eu fui em uma Oficina uma vez e aprendi sobre como as praguinhas podem acabar com as plantas nas hortas caseiras. No capítulo 1 eles explicam como você evitar isso com o uso de produtos naturais.  
  3. Conservação e consumo das hortaliças- Além da explicação sobre vitaminas e minerais, eles explicam, de forma bem objetiva, como guardar hortaliças e evitar o desperdício de alimentos.  

Então dá uma olhadinha aqui e baixe grátis o livro.

Artesanal, Barateza, Cozinha Natural

Faça sorbet em casa com apenas quatro ingredientes

24 de novembro de 2017

O Sorbet é uma sobremesa gelada, que se assemelha ao sorvete, porém, a diferença é que não leva nem leite, nem ovos, apenas o purê da fruta, açúcar e água. Pode ser feito com purês de amoras, framboesa, pêssegos, melancia, acerola, pitanga, maracujá, suco de laranja, limão, abacaxi… O único segredo para um bom Sorbet é que, na ausência de uma sorveteira, você tem que estar disposto(a) a retirá-lo do congelador e bater diversas vezes para quebrar os cristais de gelo. Se o sorbet for feito à base de um suco, por exemplo, você vai ter que bater mais vezes, isso porque como o suco tem mais água do que os purês de fruta, mais gelo é formado. O resultado é um Sorbet liso, sem aqueles gelinhos no meio. Geralmente é feito com uma calda de açúcar, que pode ser substituída pelo açúcar de sua escolha, como o melado, por exemplo. Agora, dá uma olhadinha como é fácil:

O Sorbet é uma opção de sobremesa gelada muito fácil de fazer. É só suco, açúcar e limão.

Sorbet de Morango com manjericão

RENDIMENTO- Rende 500 ml.

Sobremesa, lanche ou pode ser usado em drinques.

Ingredientes

  • 5 bandejas de morango maduros
  • 1 ramo de manjericão fresco (roxo ou verde)
  • 75 ml de água
  • 75 g de açúcar (se você for usar açúcar magro ou Estévia Natural, reduza esta proporção e a de água pela metade)

Modo de fazer

  1. Faça uma calda com o açúcar de sua preferência. A calda para o sorbet deve ficar transparente, não igual ao caramelo do pudim, ok? Misture o açúcar e a água e leve para reduzir em fogo baixo. Reduzir quer dizer que esta mistura vai diminuir e engrossar, lembrando mesmo um xarope.
  2. Espere esfriar e acrescente umas 8 folhas de manjericão. Elas vão perfumar a calda. Reserve algumas para decorar.
  3. Faça a purê de morangos. Lave os morangos ainda com os cabinhos para que eles não absorvam muita água. Retire os cabinhos, corte os morangos e bata no liquidificador.
  4. Passe esta mistura pela peneira. O que você vai usar é o purê, pode descartar os resíduos que ficaram na peneira.
  5. Misture a calda de açúcar e manjericão com o purê.
  6. Leve para congelar por umas 2h até estar semicongelado.
  7. Bata o sorbet, no liquidificador, mixer ou processador com regularidade para quebrar os cristais de gelo. Isso pode ser feito durante umas 2 vezes, a cada 2h, tempo necessário para ele congelar.
  8. Antes de servir, retire o Sorbet por alguns minutos.
  9. Sirva com as folhinhas de manjericão.
  10. Se for usar o Sorbet para drinques com Espumante, por exemplo, coloque duas colheres de sopa de Sorbet para uma taça da bebida.

Dica Temperomental: Sempre que possível, opte pelos alimentos orgânicos. Para se ter uma ideia, o morango é uma das frutas que lidera a lista dos alimentos que possuem altos índices de resíduos de agrotóxicos (46%). O pessoal da Rede de Agricultura Sustentável sugere, que para eliminar um pouco do resíduo, você prepare uma solução de água e bicarbonato e coloque os morangos antes de usá-los.   

Barateza, Comida brasileira, Comida de freela, Cozinha Natural

Ideias criativas e deliciosas para as sopas e cremes vegetarianos

28 de junho de 2017

Sopas e cremes são alimentos fáceis e baratos de fazer, “sustentam” e não exigem muita habilidade na cozinha. Claro, que existem receitas super elaboradas de sopas como a Bouillabaisse (sopa à base de caldo de peixe com frutos do mar e ervas diversas) ou o Capeletti in Brodo (caldo de frango, legumes ou carne com massa caseira tipo capeletti), para citar algumas, mas no geral, a gente se vira com o que tem em casa, não é?

E não é porque não temos ingredientes caríssimos, que vamos deixar de tomar uma sopinha saborosa e porque não, diferente. Aqui em Curitiba é muito frio e por incrível que pareça, as opções de boas sopas a preços acessíveis são bastante limitadas. Então, nada melhor do que criar as suas próprias combinações.

Hoje vou compartilhar algumas dicas pra você fugir do óbvio nas receitas de sopas e cremes vegetarianos. Se você não é vegetariano, coloque aí a proteína de sua preferência, mas a intenção é mostrar que mesmo sem carne dá pra ser feliz e comer bem. Bora lá:

 

#1- Para sopas de abóbora mais cremosas, asse a abóbora e não cozinhe: Prefira assar a abóbora ao invés de cozinhar. Isso vai garantir um creme mais encorpado e sem a necessidade de colocar leite, creme de leite ou engrossar com amido de milho. Basta cortar a abóbora, acrescentar azeite, ervas e alho e assar por uns 20 minutos. Depois é só bater com caldo ou água. 

Abóboras assadas ficam mais sequinhas e podem ser usadas em cremes e até mesmo em massas, como nhoque.

#2- Faça caldos com as cascas- Lá no Instagram eu dei a dica: não joga fora as cascas dos vegetais que você usa. Vai armazenando no freezer e depois cozinha com ervas, pimenta em grão e especiarias, que você tem aí. Isso vai enriquecer o sabor dos cremes e das sopas.

Caldos podem ser feitos com cascas e folhas de vegetais

#3- Utilize pão, sementes de girassol, nozes, castanhas, pedacinhos das verduras e cereais para finalizar cremes e sopas- Quando você capricha na apresentação e acrescenta ingredientes para dar textura e consistência às sopas e cremes, o negócio muda de figura. Abaixo eu posto a foto de um Creme de Grão de Bico em que coloquei tahine, pão folha e os grãos de bico inteiros para finalizar. Além do sabor ficar especial, dá mais saciedade.

Este creme ficou especial: além do creme de grão de bico, acrescentei berinjelas em cubos e grãos de bico salteados em azeite com ervas.

#4- Asse couve flor, alho, tomate, pimentões- A gente aprendeu sempre a cozinhar os alimentos para fazer sopas, mas tá aí umas dicas que vão deixar as suas sopas com outro sabor. Asse o alho por uns 15 minutos e bata no liquidificador com batata doce ou mandioquinha, por exemplo. Para a couve-flor, faça o mesmo e acrescente temperos e especiarias. Depois bata com leite de coco e pronto.

Você pode assar a couve flor com alho, cebola e acrescentar pimenta, páprica, curry e o que mais você tiver em casa.

Pra ver mais dicas criativas e baratas para você comer e cozinhar melhor,  visita a gente lá no Instagram.

 

 

 

Cozinha Natural, Cozinhar, Receitas Veganas Práticas

Alimentos vegetais ricos em proteína

30 de maio de 2017

Uma das maiores preocupações de quem resolve reduzir ou eliminar o consumo de carne é em relação à falta de proteínas. Proteínas são essenciais para manter o nosso corpo e mente em funcionamento, ajudam na construção e reparação dos músculos e nos dão energia para as nossas atividades diárias.

A maioria das pessoas consome carne para suprir a necessidade de proteínas. Mas, é possível encontrar proteínas em alimentos de origem vegetal. O que acontece é que muitos vegetais contêm pequenas quantidades de proteínas e o que você deve fazer é variar e combinar os vegetais, grãos e sementes pra ter uma quantidade suficiente de proteínas em suas refeições. 

Veja uma lista de alguns alimentos vegetais ricos em proteínas e algumas combinações que você pode fazer. Olha só:

Tofu é uma excelente fonte vegetal de proteína. Pode ser usado grelhado, empanado, combinado com vegetais e legumes ensopados, além de pastas e como recheio para sanduíches.

 

Feijões são os alimentos mais acessíveis pra quem quer fontes vegetais de proteína. Combine com uma porção de arroz, salada, sementes (como semente de girassol), farofa de castanhas e pronto!

 

Lentilhas podem ser usadas ao invés do feijão, como ensopados, sopas, currys, almôndegas, bolinhos ou como recheio de tortas e escondidinhos, além de chillis.

 

O arroz, cogumelo e o gergelim formam uma combinação vegetal perfeita pra completar as proteínas em seu cardápio. Use o cogumelo que for acessível pra você, misture com brocólis, arroz e sementes, como linhaça ou amaranto.

Comida de verdade, Cozinha Natural, Receitas Veganas Práticas

Erros comuns ao fazer pão

22 de maio de 2017

Erros comuns podem comprometer a qualidade do seu pão caseiro

Fazer pão é uma das atividades na cozinha que eu mais gosto. Ver a massa crescer, depois dar forma, esperar, assar… Aprendi há uns dois anos como fazer pães de fermentação natural e aí, as madrugadas nunca mais foram as mesmas, porque diferente do fermento biológico industrializado, a fermentação demora um pouco mais. 

Neste post vou falar de tudo o que pode dar errado na hora de você fazer o pão em casa. Depois que assa ele “murcha”? Será que se usa água quente ou gelada? Por que ele parece que está “abatumado”? Selecionei alguns dos principais erros e agora compartilho com você.

1- A massa não está boa, então taca mais trigo! Não faz isso. Cada um tem uma receita pra fazer seu pão, o mestre Renê, ensinou uma fórmula (trigo é 100%, água (hidratação 65, 70%, fermento 1% e sal 10%). Pra 500g de trigo, 325 de água, 1g de fermento e 10 gramas de sal. Precisa misturar bem os ingredientes antes de sovar. Aposte na qualidade do trigo e da água, sempre. Quanto mais proteína tiver a sua farinha, melhor será o pão. 

Estas são farinhas encontradas nos supermercados. A quantidade de proteína não é tão alta, mas é o que geralmente tem disponível. Marcas como Marfil tem farinhas orgânicas com mais proteína.

2- Misturar o sal junto com o fermento- Nunca. Aprendi também com Renê, que isso pode “matar” o fermento. O ideal é acrescentar o sal só no final. A qualidade do fermento, o clima, a temperatura, etc., são fatores que vão influenciar muito na hora do seu pão crescer. Preste atenção a isso.

3- Não sovar direito- Pão bom foi bem sovado. A textura e a maciez vão depender diretamente de como você fez esta etapa. Então, tira aí uns 10 minutos e sove a massa com carinho.

4- Usar água muito quente ou fria pra ativar o fermento- Aqui em Curitiba é bem frio, então o ideal é que a água pra fazer o pão esteja aí em uma temperatura de uns 23, 24 graus. Mais do que isso, os fungos morrem e menos do que isso, eles não ativam.

5- Não deixar a massa descansar- Não é à toa que até nas embalagens de fermento, constam algumas orientações para que a massa “descanse”. São pelo menos 2 etapas de descanso: 1) depois que você sova. Média de 45 minutos (fermento comum) e natural (entre 8h e 16h) 2) depois que você dá forma pro pão, focaccia ou massa de pizza.  (Mais uma ou duas horas). 

Bom, agora que você já sabe o que deve fazer pra ter o seu pão caseiro perfeito, confere aí a nossa receita de Pãozinho semi-integral com chia e gergelim.

Pãozinho semi-integral com chia e gergelim 

250g de farinha de trigo branca

150g de farinha de trigo integral

100g de farinha de quinoa (centeio, aveia ou outra de sua preferência)

1g de fermento biológico seco (aquele comprado em supermercados)

325g de água

10g de sal

20 g de chia (reserve 10g pra cobrir os pães)

20 g de gergelim (reserve 10g pra cobrir os pães)

  1. Misture as farinhas e o fermento.
  2. Acrescente o gergelim e a chia.
  3. Acrescente a água.
  4. Acrescente o sal.
  5. Misture tudo até incorporar os ingredientes.
  6. Sove o pão em uma superfície bem limpa. Por uns 10 minutos, no mínimo.
  7. Deixe descansar por no mínimo 45 minutos ou até dobrar de volume.
  8. Depois deste tempo, modele os pães e deixe-os descansar por no mínimo 45 minutos ou até dobrar de volume.
  9. Pincele óleo de canola ou girassol e espalhe a chia e o gergelim.
  10. Pré-aqueça o forno por 15 minutos a 180 graus.
  11. Asse por 25/30 minutos.
  12. Os pãeszinhos podem ser congelados assados por até 3 meses. Embrulhe-os em alumínio, coloque em um saco plástico e descongele em temperatura ambiente antes de aquecer no forno.

Aqui é a etapa depois que o pão fermenta pela primeira vez. A gente faz as bolinhas, coloca a chia e o gergelim.

Comida de verdade, Cozinha Natural, Receitas Veganas Práticas

Smoothie colorido em três passos

17 de maio de 2017

Fácil e rápido: smoothie é uma opção vegana e deliciosa pra você variar o café da manhã

Fiz esta receita e postei lá no Instagram em homenagem aos meus amigos Igo Martini e Márcio Marins em celebração ao Dia Internacional do Combate à LGBTfobia. A intenção era se inspirar nas cores do movimento para montar uma receita que chamasse a atenção das pessoas. E deu certo 🙂 Esta receita é tão fácil, que se você quiser consegue fazer ainda hoje. Olha só:

Primeiro passo- As frutas: 1 banana prata ou caturra, sem casca, cortada em rodelas e congelada. Meia manga, meio abacate, 8 morangos, meio mamão papaya (pode ser outro), duas colheres (sopa) de açaí.

Você pode usar as frutas que tem à disposição. Aproveite as frutas que estão muito maduras e evite o desperdício de alimentos.

Segundo passo- A preparação: Tire as bananas do congelador. Elas vão dar cremosidade e consistência quando você misturar com outras frutas. Com água mesmo ou um pouco de leite de coco (duas colheres de sopa) bata na função pulsar: os morangos com metade da banana, reserve (de preferência no congelador), depois a manga, o abacate, e o mamão papaya com a outra metade da banana. Reserve cada fruta separadinha se quiser esse efeito colorido. Não precisa colocar açúcar, mas se quiser, coloca um pouco de melado ou mel.

Smoothie é uma opção gostosa e saudável para o café da manhã ou lanche.

Terceiro passo– Agora é só montar. Em um copo ou bowl, coloque: açaí, o abacate, a manga, o mamão e o creme de morangos. Coloca granola, as frutas que você quiser e pronto! Só postar no Instagram e mostrar pra gente como ficou.

Comida brasileira, Cozinha Natural

Aprenda a preparar painço

30 de março de 2017

Fui conhecer o Painço em uma receita da Bela Gil (acho que era um refogado) e então pesquisei pra ver como se preparava o grão e se era fácil de achar em Curitiba. Primeiro, fiquei sabendo que ele é vendido com casca e sem casca. Bela Gil menciona que não se come com a casca, pois ela é muito fibrosa. Eu testei duas receitas: uma com a casca e a outra sem. Olha, com a casca deu bom sim.

 

Humanos podem comer painço?

 

O Painço também é uma semente que os passarinhos adoram, mas é muito possível e barato incluir painço na alimentação humana, pois além de nutritivo, ele é um carboidrato “bão” que promove a saciedade e libera açúcar aos pouquinhos no corpo.  Sugiro que no início, você procure pelo painço sem casca. O sabor e a textura lembram mesmo a quinoa e a linhaça. Pra ficar crocante o ideal é cozinhar com menos água e em menos tempo. Rende bastante e dá pra fazer um monte de coisa: finalizar saladas, fazer granola salgada ou até doce, usar no pão, farofas, etc.

 

Onde comprar Painço?

Em lojinhas de produtos naturais, que vendem grãos, sementes, cereais, ervas, temperos e condimentos a granel, você acha fácil. Em Curitiba, recomendo a Pop House Alimentos, que fica na Rua  Mariano Torres, 948 – Centro (tenha paciência e saiba o que você quer e a sua experiência será mais proveitosa, pois sempre está cheio e o pessoal faz o que pode pra atender bem).

Painço em grãos- alimento nutritivo e barato

Prepare o painço

Agora que você sabe o que é e como comprar o painço, é hora de cozinhar. Duas xícaras de painço, quatro de água ou caldo. Leva aí entre 25 e 30 minutinhos cozinhando. Separe a quantidade que você vai usar e armazene o restante. Eu usei em duas receitas. Uma, com a casca, foi uma Farofa com pimenta doce e pimentão verde pra acompanhar um Vatapá de Palmito, que eu já tinha pronto. A outra receita, foi somente os grãos (sem casca), temperados com laranja, raspas de limão, pimenta do reino, sal e salsa, pra salada de pote com agrião, berinjela grelhada, tomate cereja, pepino e abacate (ficou muito boa!). Bom, confere aí a receita da farofa e me conta depois o que achou.

Farofa de Painço com pimenta doce e pimentão

Farofa de painço, pimenta doce e pimentão

1 xícara de painço já cozido (eu cozinhei os grãos em caldo, por isso ficou mais escuro)

Meia cebola

Uma colher de sopa de óleo de coco

Meia xícara de pimentão verde

Meia xícara de pimenta doce ou pimentão vermelho

Sal

Pimenta a gosto

Como fazer

  1. Aqueça uma panela ou frigideira.
  2. Acrescente o óleo de coco e refogue a cebola até dourar.
  3. Coloque a pimenta doce ou pimentão vermelho.
  4. Coloque o pimentão verde.
  5. Acrescente o painço.
  6. Misture tudo e deixe dourar um pouco.
  7. Finalize acertando o sal e a pimenta.
  • Eu não tinha coentro na hora, mas acho que ficaria muito bom.

 

Barateza, Comida brasileira

Variar os alimentos é o segredo da alimentação vegetariana saudável

7 de março de 2017

A inspiração para este post veio a partir da leitura da matéria Dispensar carnes é possível com boa combinação de alimentos publicada no Estadão. A jornalista Juliana Carreiro faz uma boa reflexão sobre como é possível dispensar as proteínas de origem animal e ter uma alimentação vegetariana saudável. Eu não só acho perfeitamente possível, como pratico isso há muito tempo. Não sou vegana, mas 80% da minha alimentação não tem nada de proteína animal, não só por motivos vários que não cabem aqui, mas também porque a cozinha vegetariana e natural é ainda um universo que precisa ser melhor explorado por nós, brasileiros.

Diversificar os alimentos é uma forma de ter uma alimentação vegetariana mais saudável

Muita gente (ainda) associa a comida vegetariana a proteína de soja, as frituras, aos lanches, como “cachorro-quente”, pizzas e hambúrguer. Claro que isso também faz parte, é uma maneira de trazer um público que curte este tipo de comida para conhecer as versões vegetarianas e não deixar os vegetarianos “órfãos” destes quitutes, mas, além disso, a comida natural, a cozinha sem a carne e sem as proteínas de origem animal representam verdadeiros desafios tanto para os cozinheiros, quanto para quem está mudando os seus hábitos. Quando começamos a ter hábitos mais “naturebas”, inevitavelmente o paladar começa a ficar mais exigente e os alimentos industrializados, o açúcar, o excesso de sal, a maionese, margarina, etc., começam a não fazer mais sentido… Aí, que a mágica acontece: a gente começa a criar novos sabores e combinações.

Saladas que combinem frutas, legumes e verduras são ótimas para incrementar qualquer refeição

Esse é o segredo da alimentação vegetariana saudável: variar os tipos de alimentos e combiná-los para que a gente consiga suprir as nossas necessidades diárias de nutrientes. Por isso, não é porque a pessoa é vegana e come todo dia pizza de tofu e coxinha de jaca, que ela é mais saudável do que o cara que come carne e massa no refeitório da firma. É preciso combinar os alimentos para que haja esse equilíbrio. 

Mas, tem gente que sempre me diz isso: mas é muito caro comer bem! ou ainda, se eu dispensar a carne eu passo fome. Será mesmo? Olha o desafio: sugerimos algumas combinações de alimentos para o almoço. Tenta fazer isso por um ou dois dias. Depois, você troca as preparações, inventa as suas.. Hoje vou falar do almoço, mas em seguida posto sobre o café da manhã e jantar, ok? 

Dicas gerais

  • Se for comer em casa, tenha sempre: temperos variados (orégano, páprica, tempero árabe, pimenta síria, pimenta caiena). Se der, tenha também uns temperos frescos, como salsa, manjericão, coentro e cebolinha. Assim você varia o sabor das suas receitas, sem gastar muito.
  • Quando sobrar um dinheirinho, procure comprar: Tahine, Shoyu, sementes (gergelim, semente de girassol) e oleaginosas (nozes, amendoim, castanha). Estes são ingredientes que vão dar aquele “plus” e você vai sentir que não está comendo a mesma coisa todo dia.
  • Quando você receber o 13o salário ou uma herança- Compre um processador de alimentos e um Spiralizer- O processador vai ajudar você a criar mais receitas como leites vegetais, preparados para molhos, bases e etc. O Spiralizer simplesmente vai transformar aquele legume que seria refogado em super espirais, variando a forma e a textura do alimento.

Sugestões para o seu Almoço: 

SEGUNDA- Arroz+feijão+legumes salteados com óleo de coco+salada de alface, pepino e tomate.

TERÇA- Lentilha+cevadinha+berinjela grelhada + brócolis.

QUARTA- Abóbora + cogumelo+ arroz de coco + salada de abobrinha e pepino.

QUINTA- Abobrinha recheada com lentilha e cenoura + salada de pepino, cebola e tomate + purê de couve flor.

SEXTA- Arroz + feijão+couve refogada+ banana grelhada+ salada de chuchu

SÁBADO- Salada de grão de bico+abobrinha grelhada e salada verde.

DOMINGO- Chili de lentilhas e cogumelos + salada de tomates, cebola, pepino e abacate.

SEGUNDA- Feijão+ quiabo+farofa de cenoura e talos+salada de tomate e alface.

 

Hey! Aproveita e segue o Tempero no Insta. Tem um monte de dicas por lá.